Principais tendências de colaboração empresarial de 2018

Bobby Beckmann, Diretor-Chefe de Tecnologia, Lifesize
13 de março, 2018

Olá a todos, e bem-vindos de volta ao Lifesize Live! O programa ao vivo pela web produzido inteiramente por meio da plataforma Lifesize.

Eu sou seu apresentador, Julian Fields, e comigo hoje está o nosso diretor-chefe de tecnologia, Bobby Beckmann. Ele está aqui hoje para falar sobre as tendências de videoconferência no futuro. Você trouxe a sua bola de cristal?

Estou pronto para mostrá-la.

Vamos ouvi-lo.

Bem, olá a todos. Algumas coisas sobre as quais eu quero falar hoje. O grande tema que você sempre aborda aqui é: o que a IA significa para a sala de reunião? Quando as pessoas pensam em IA, eles pensam em ficção científica ou robôs ou algo assustador, mas é muito mais simples do que isso. Geralmente, quando falamos do impacto da IA, não existe uma expansão repentina onde, de repente, tudo vira inteligência artificial. Existem várias pequenas etapas onde pequenas melhorias realmente fazem uma mudança enorme em como nós nos reunimos. Existem duas grandes áreas de IA que acredito que impactam nossas salas de reuniões. Uma delas é a visão da máquina. A visão da máquina é interessante porque existem algumas coisas diferentes que ela pode fazer: ela pode dar uma olhada em todos aqueles que estão atualmente na chamada e levantar estatísticas e analíticas sobre eles em tempo real. Então, por exemplo, você pode imaginar uma sala de aula virtual, onde você tem um professor falando com 50 alunos de uma vez. É impossível para ele julgar o engajamento de todos os alunos da turma. Se você está em uma sala de aula real, pode sentir a agitação. Você pode determinar se eles estão realmente prestando atenção, mas, virtualmente, você não sabe quem realmente está engajado. Então, seria ótimo se pudéssemos ter algum tipo de serviço que tirasse uma foto de todo mundo e me informasse instantaneamente como eles estão se sentindo — eles estão felizes, tristes, aborrecidos, com raiva ou se irritaram com algo que você disse?

É como um detector de sorriso.

Isso, um detector de sorriso. Então, imagine que eu estou olhando para a tela de todas essas 50 pessoas, mas aqui do lado direito, eu posso ver em tempo real o sentimento deste telefonema ou chamada de vídeo e como tudo está indo, e talvez eu mude minha postura em tempo real. Ou talvez eu mude a maneira como estou lidando com as pessoas mais tarde, então, se sou um vendedor e estou fazendo essas chamadas o tempo todo, eu posso julgar o sentimento do meu cliente e aprender o quão rapidamente eles vão comprar ou quanto gastarão com base nessa interação emocional inicial, em vez de apenas vender cegamente um monte de recursos.

Certo, isso soa como um ótimo benefício. Eu poderia ter uma reunião com a minha equipe e conseguir o engajamento deles, isso é uma coisa, mas falar com um cliente em potencial e realmente ser capaz de fazer algo a esse respeito é totalmente diferente.

Sim, então há um benefício real e um ROI real. Vai ser interessante, e acho que há coisas hoje em dia que vão permitir que você faça isso. Você ´pode tirar essas fotos e enviá-las para serviços em nuvem grande e obter muitos dados sobre quem está na foto e qual é o seu humor ou sentimento.

Certo.

A outra parte da visão da máquina é apenas ser capaz de saber o que está na sala. É preciso muito trabalho para construir câmeras de quadro branco e criar maneiras diferentes de compartilhar dados, mas se você tem algumas câmeras lá em cima, você é capaz de ver a sala inteira. Se eu sei que estou indo em direção a um quadro branco, não há nada que nos impeça de pegar os dados do quadro branco, limpá-los e transformar aquilo em uma apresentação. Isso facilita muito a realização de apresentações ou conferências, ser capaz de fazer isso automaticamente, em vez de ter que ir lá fisicamente e clicar no interruptor e apontar uma câmera ou girar uma câmera diferente e, então, de repente, todos em um lado do enquadramento ficam fora da tela para sempre, porque eles se esquecem de retornar para a posição, ou então você escuta vários "Oh, estou no quadro branco, então você não pode ver o que estou fazendo agora."

É como se a tecnologia estivesse reconstruindo as informações e armazenando-as para que você não precise tirar fotos no final do dia.

Então, é parte da reunião, e se você gravar, é parte daquilo. Acho isso muito interessante. Quando você começa a entender os lances mais esotéricos da visão da máquina que vêm por aí, é a identificação das pessoas que estão lá — ser capaz de entrar em uma sala e saber imediatamente quem está lá dentro. Então, imagine que você vai se encontrar com dez pessoas, você conhece todas as dez pessoas que estão na sala ou sabe quem é o proprietário da reunião. Eu entro em uma sala e não preciso fazer nada: ela sabe quem eu sou instantaneamente, a câmera aparece na minha tela e me cumprimenta e começo a minha reunião sem ter que fazer nada.

Eu sei que nós conversamos muito sobre audioconferências e é tipo, "Fulano de tal se juntou a reunião" ou "Quem acabou de entrar? Quem acabou de entrar?"e você ouve isso várias vezes. Parece que isso remove tudo aquilo da reunião e você é capaz de ver exatamente quem está na reunião.

Sim, você pode dar uma olhada quando temos participantes individuais na Lifesize e você pode ver cada um. Mas, quando você está olhando na sala de conferências com dez pessoas e só conhece três delas, então, seria ótimo se você pudesse passar o mouse sobre cada um na sala e aprender um pouco sobre eles. Eu posso identificá-los, e talvez a foto do perfil do LinkedIn deles apareça.

A área de vendas agora tem outra ferramenta!

Sim, tipo, com quem estou falando? Ele é um comprador ou um cara que vai me causar muita dor de cabeça?

Ou o diretor-chefe está na sala e quer saber mais sobre os recursos bacanas?

Exatamente. Então, eu acho que essa é a parte da visão. Acho que isso vai ser uma coisa grande e acho que já dá pra ver algumas partes disso. Elas já operam em tempo real e basta integrá-los e encontrar os casos de negócio certos e lançá-los. A outra parte da IA é o lado da voz e da transcrição. Elas estão aparecendo e já estamos começando a ver vários sistemas virtuais. Todos estão muito familiarizados com as Alexas do mundo, a quem você pode dar um comando e obter uma resposta. Acho que na próxima onda nós veremos essas máquinas ouvindo toda a reunião. Você lhes convida para a reunião e elas aparecem e escutam a reunião e aguardam instruções. Então, são elas que vão assumir as ações. Elas escutam você dizer, "Ei, envie esta apresentação para mim." Certo, bem, elas podem realmente ouvir isso e distribuir a apresentação para todos.

Isso é incrível.

Ela pode ouvir comandos, por exemplo, se nós temos um pequeno trecho que é realmente interessante, posso dizer para ela gravar ou lembrar daquilo. Então, a máquina vai pegar aquela seção da reunião para que mais tarde eu possa olhar as minhas notas e ver os pontos que eu precisava lembrar. Ela pode transcrever minha reunião instantaneamente, o que é ótimo, porque isso faz com que a reunião seja pesquisável —

E provavelmente isso é aconselhável.

Exatamente.

"Isso tem relação com aquele tópico" ou "Você acabou de ter uma reunião sobre esse tópico. Você tem interesse em ouvir sobre isso?"

Certo. E, uma vez que você pode procurar as coisas e categorizá-las, pode começar a analisá-las e detalhá-las do mesmo modo como faz com as palavras escritas hoje. Ela deve se tornar outra fonte de dados.

Isso vai aprimorar a produtividade.

Eu acho que sim. Acho que isso vai facilitar as coisas e tornar as reuniões mais eficientes. Como em qualquer outro caso, você não quer ir a mais reuniões desnecessárias, então, é ótimo ir a uma reunião e ter itens práticos para que você possa olhar para trás e dizer, "Certo, isso foi uma boa reunião e eu estou feliz de ter participado."

Ela classifica as reuniões para você, para que você possa voltar e ver seu arquivo das reuniões. Isso é legal. Isso é incrível.

Sim, há um monte de coisas legais, e elas não estão longe. Não estou falando que isso vai acontecer em 2025. Eu estou falando sobre este ano, 2018.

É.

Então, a IA é uma parte legal, mas você também tem que fazer as coisas funcionarem. A grande iniciativa para nós é a interoperabilidade. As pessoas têm dispositivos que são novos ou antigos e que são incrivelmente bons, e elas não querem se livrar de sua infraestrutura, elas querem poder usá-los. E acho que um grande incentivo para nós este ano é fazer tudo funcionar bem junto. Sabe, muitas vezes você vai ter interoperabilidades anteriores funcionando mal juntas. Então, eu talvez consiga me juntar à chamada se eu gastar dez minutos tentando fazer essa coisa funcionar.

Interoperabilidade de recursos limitados.

Sim, e acho que nós queremos chegar ao ponto em que você sempre usa equipamentos Lifesize, porque nós gostamos dos equipamentos da Lifesize, mas existem outros equipamentos por aí e, se você deseja conectá-los, queremos que funcionem igualmente bem. Queremos que você tenha uma ótima experiência com a sua reunião, independentemente do que estiver usando. E acho que isso vai ser importante para toda a colaboração, porque você não sabe o que as pessoas vão usar para colaborar. Se eu estou usando um codec de dez anos, uma pessoa está usando seu telefone móvel e alguém está no seu desktop ou laptop de férias, a reunião não devia ter que parar. Há um fragmento legal de alguém em uma pista de esqui, sentado e realmente conectado—eles estão tendo uma ótima experiência com a reunião. Então, eu acho que a interoperabilidade de todos os dispositivos novos, velhos e de maneiras diferentes, é muito importante para nós na Lifesize, e acho que nós estamos vendo isso em 2018. O que mais estamos fazendo? Bem, tem o 4K.

4k é uma compra fácil — não acredito que agora tenho um monitor de 4k na minha mesa e custou 500 dólares. Por anos eu quis um monitor Apple cinema porque era o Cadillac desse tipo de coisa e, agora, isso não parece mais tão bom. Era só um monitor de 500 dólares, mas eu acho que você vai vê-lo em todo lugar e parece fantástico. 4k é onde queremos ir. Queremos ver como apresentações em 4k ficam em 4k com câmeras 4k, porque, conforme esses monitores forem lançados, você vai querer usá-los. E eles só vão fazer sentido se você tiver boas fontes.

O próximo passo depois do "cara a cara" é ser capaz de ver todos os poros em seu rosto.

Exatamente, e algumas vezes você vai dizer "Eu não quero ver isso", mas é incrível. E nós já vimos algumas amostras de como uma reunião fica em 4k e os detalhes fazem a diferença. As pessoas fazem um monte de piadas, como "Você realmente quer ver essa pessoa em 4K?" Mas é surpreendente, porque, quando você começa a ver os detalhes da sala ao seu redor com clareza e você consegue ver todos os detalhes daquela pessoa, o espaço se torna mais real. E é um salto real. As pessoas mal se lembram do salto para o HD porque agora eles acham que tudo é assim, mas sempre que você assiste a um vídeo antigo de esportes, você fica,"Isso realmente foi em 2001?"

"Como eles sabiam que ele deu aquele primeiro passo?"

"Como conseguiam assistir a isso?" E eu acho que, conforme você começa a ver o vídeo 4k, ele apenas parece maior e parece bom, mas quando você vê fontes 4k em um monitor de 4 k, é incrível. Quer dizer, estamos chegando ao ponto em que é uma experiência inacreditavelmente boa.

Acho que nosso tempo está acabando. Não sei se você tem algum pensamento final sobre o que vai acontecer este ano.

Eu acho que muitas empresas estão construindo coisas realmente legais e a Lifesize é uma delas. E acho que o melhor disso tudo é que queremos ver que coisas incríveis são essas e fazer elas funcionarem juntas. Então, eu acho que veremos todos fazendo um movimento para a frente. É sempre divertido ser uma parte disso e ver o que podemos criar em 2018.

Bem, muito obrigado por se juntar a nós. Reparei que você não disse que o teletransporte vai acontecer este ano, então, temos videoconferências por enquanto. Aproveite; aproveite o melhor que este ano trará.

Aliás, estamos trabalhando nisso.

Certo, ótimo, as equipes especiais.

É, mas ainda não.

Obrigado, pessoal. Até a próxima.